Primavera: Flores à mesa

0

Primavera: Flores à mesa

Por Marina Albano

Mês de setembro começando e junto com ele surgem cores e suavidades próprias da primavera, uma estação facilmente reconhecida por onde olhamos. Isso porque as flores se abrem e passam a fazer parte de nosso dia. Tal característica não seria diferente em nossos pratos, que nessa estação ficam mais leves e coloridos.

Abóbora, berinjela, beterraba, cenoura e morango, com suas cores fortes, são os alimentos típicos dessa temporada. Mas para dar um toque diferente nesta primavera, receitas com flores comestíveis começam a perfumar o cardápio de alguns restaurantes.

Seus valores nutricionais são, ainda, pouco conhecidos. O que se sabe é que elas são ricas em néctar e pólen, portanto, cheias de minerais e vitaminas. Além disso, são leves e pouco calóricas, devido à grande quantidade de água. Para aproveitar seus nutrientes é importante conhecer a procedência e saber aquelas que realmente são próprias para o consumo.

Entre as mais utilizadas estão: a calendula, gerânio, rosa, tulipa, lavanda, amor perfeito, violeta, capuchinha, flor de abóbora, cravo e margarida. Na hora da compra é importante buscar produtores especializados, que não utilizem qualquer tipo de agrotóxico ou tratamento químico na plantação. Vale ressaltar que não são as mesmas disponíveis nas floriculturas, mas sim, flores produzidas com finalidade específica.

A chef Paula Labaki acredita que tudo que vai ao prato, tanto na elaboração como na montagem e finalização necessariamente tem que ser comestível. “Eu sigo essa linha de pensamento. Todas as flores que uso são comestíveis e cada uma com seu sabor específico e maravilhoso. Procuro, logicamente, a harmonia de sabores no prato” afirma.

Algumas flores passam por outros tipos de ingredientes em nossa mesa. O brócolis, alcachofra e couve-flor, espécies cultivadas e consumidas como verduras, na verdade, são inflorescências ou pedúnculos florais, mais próximas, portanto, da família da botânica e não das hortaliças.

O uso de flores na culinária é, para alguns, exotismo, uma novidade, modismo ou apenas curiosidade. “O brasileiro ainda é muito resistente em experimentar novos produtos e preparações, logicamente isso tem melhorado com a explosão da gastronomia por aqui, mas acho importante mostrar e viabilizar novidades, pois só assim podemos ampliar nosso paladar e nossa cultura” destaca Paula.

Porém, qualquer que seja o motivo, elas estão garantindo o seu espaço e se tornando um delicioso complemento para ser usado nas receitas domésticas ou em requintados restaurantes. “O envolvimento do sabor com a memória emocional faz toda a diferença. Muitas vezes ao olhar a flor no prato, os clientes associam o sabor das flores com lembranças de sabores já conhecidos, é o emocional entrando na gastronomia” finaliza Paula.

Crédito da foto: Henrique Peron

A Chef Paula Labaki coordena o blog Cozinha da Lena e o seu site.