Mônaco investe na gastronomia orgânica

0

A gastronomia é uma experiência à parte em Mônaco. Combinando restaurantes estrelados, cozinhas internacionais e quitutes próprios, o principado oferece deliciosos roteiros gastronômicos obrigatórios aos viajantes. Os alimentos orgânicos e refeições saudáveis, inclusive, estão marcando uma presença cada vez maior nos estabelecimentos monegascos. O Elsa, por exemplo, é o primeiro restaurante 100% orgânico a ganhar uma estrela Michelin, cuja filosofia culinária celebra o essencial e a simplicidade. Localizado dentro do hotel Monte-Carlo Beach, o local conseguiu tal reconhecimento depois de uma pesquisa extensa sobre os melhores ingredientes orgânicos, que resultou em uma parceria com 15 produtores locais, e seu processo delicado de cozimento. O que originou-se daí foi uma gastronomia saudável, colorida e que respeita os ciclos da natureza. O menu é composto de excelentes azeites de oliva, pães de farinha orgânica preparados no local duas vezes ao dia, carne branca, aves e cordeiro de fazendas orgânicas, além de peixes, vegetais frescos e frutas sazonais. Até mesmo os vinhos que harmonizam com os deliciosos pratos da casa são orgânicos.

O chef Paolo Sari, que comanda a cozinha do Elsa, é um grande incentivador da gastronomia orgânica. Rigoroso ao selecionar seus ingredientes, faz questão de saber a origem de cada um, oferecendo uma cozinha transparente ao público. Ele foi o responsável pela organização do Festival Orgânico de Mônaco, cuja segunda edição ocorreu em outubro de 2017. Durante os quatro dias de evento, o público foi convidado a descobrir novos produtos e práticas ecológicas, participando de um mercado orgânico de produtores locais, competição de inovações ecológicas, demonstrações e jantares de gala. O evento também envolveu as crianças monegascas, que cozinharam ao lado de chefs do principado e participaram de concursos culinários e competições esportivas.

Outra empresa que vem ajudando a desenvolver a cena dos orgânicos no principado é a Terre de Monaco. A start-up, criada pela empreendedora Jessica Sbaraglia, desenvolve hortas orgânicas nos tetos, sacadas e terraços dos imóveis do principado. O serviço é oferecido tanto para pessoas físicas quanto hotéis, restaurantes e outras organizações. Foram tantas adesões que Mônaco é hoje um dos maiores empreendimentos agrícolas urbanos privados do mundo e muitos restaurantes já utilizam ingredientes desses jardins orgânicos em seus cardápios, como o Blue Bay, restaurante estrelado do hotel Monte-Carlo Bay.

Há vários outros restaurantes que têm uma proposta de comida saudável no Principado. O Eqvita, que tem o tenista Novak Djokovic como um dos sócios, oferece um menu praticamente vegano, com exceção dos ovos orgânicos servidos no café da manhã, sem glutén, lactose nem açúcar refinado. O local promove a conexão com o que é bom, com a natureza, com nossos corpos e com as outras pessoas e acredita no poder dos ingredientes naturais para energizar e fortalecer. O menu sazonal é composto de ingredientes locais frescos e muitos produtos são feitos na casa, como os pães, compotas, chutneys, molhos, leites e queijos veganos. Já o Organic Detox Bar é especializado em sucos funcionais que ajudam diversas funções do corpo e oferece programas detox para purificar o organismo. O L’Inattendu e o Eat Juice são outros exemplos que oferecem raw food, comidas orgânicas e menus veganos. Para quem gosta de cerveja, a Brasserie de Mônaco é uma cervejaria que produz as bebidas com ingredientes orgânicos e é excelente para um happy hour.

A cena orgânica de Mônaco não para de crescer. Há cada vez mais restaurantes e eventos relacionados à causa no principado. Além de oferecer uma comida mais saudável, a experiência é deliciosa e permite uma conexão maior com a natureza e seus ciclos.

Para saber mais sobre o destino, acesse www.visitemonaco.com.