Um verdadeiro descendente de italiano

0
Entrevista com o Chef Luciano Antonello

Luciano Antonello

O chef Luciano Antonello, descendente de italiano, sempre participou de festas e reuniões familiares características pela fartura à mesa. Mas foi no curso de hotelaria que Antonello começou a se interessar pela culinária. A partir daí, em 2000, ingressou no curso de gastronomia e passou a se dedicar a profissão, tornando-se, então, chef. Em entrevista ao Gourmet Virtual, Antonello fala mais sobre sua carreira.

Gastrônomo, empresário e apresentador de um programa de culinária, fale sobre suas principais atividades profissionais e como você as concilia.
Minha vida é corrida, eu faço compras, ministro aulas, apresento programa de TV, realizo eventos, enfim, vivo 24 horas para gastronomia, sem férias, mas com prazer e amor no que faço, por isso posso fazer mais 100 anos.

O programa chef Antonello traz novidades somente para o cardápio italiano?
O programa Chef Antonello, está sendo reformulado, vai ter um cenário novo, com receitas novas, não somente Italianas. Teremos também convidados para completar o quadro do programa, que veicula no canal 8 da Net Campinas.

Em 2005, você recebeu o prêmio Estrela de Identidade Italiana. Conte-nos um pouco sobre esse reconhecimento e sobre a importância dele na sua carreira profissional e pessoal.
Eu tinha meu primeiro restaurante em Campinas que servia comida Italiana. O restaurante era freqüentado por muitas famílias Italianas, alguém muito importante deve ter jantado lá, adorou, e recomendou para a Câmara Italiana.
Então eles me ligaram dizendo para eu receber um premio do Governo Italiano, das mãos do Ministro Mirko Tremaglia, isto realmente me deixou muito feliz, pois recebi a estrela ao lado de grandes chefs, na ocasião, já consagrados.

Como é seu processo de criação das receitas?
Eu primeiramente crio o prato na cabeça, experimento e aprovo somente com o pensamento, depois disso eu testo na realidade. Com os anos de trabalho, esse processo ficou automático, minha esposa experimenta muitas receitas e aprova ou desaprova sem perdão. Para o programa, eu só crio no pensamento, nunca testei antes, isso vale para quando eu faço programas em outros canais, é um risco, mas se torna um desafio agradável.

Em sua opinião, a que se deve o crescimento do número de homens na gastronomia?
Deve-se a mudança de hábitos. Hoje, as mulheres deixaram de ficar na cozinha, fazendo com que os homens aprendessem a se virar, descobrindo que cozinhar é relaxante. Principalmente, depois de um dia de trabalho, chegar em casa, abrir um vinho e preparar um prato é um prazer enorme.