Culinária Portuguesa

0

Culinária Portuguesa

Por Daniel Ottoni

Alguns países europeus têm na gastronomia referências de suas tradições e cultura difundidas junto a tantos outros povos. Bons exemplos não faltam como a culinária alemã, francesa ou italiana. Mas a gastronomia portuguesa possui também uma tradição milenar, desde as Grandes Navegações que tiveram os nautas portugueses dentre seus mais importantes personagens.

A culinária portuguesa é decantada em verso e prosa por sua grande variedade de peixes, legumes, enchidos e doces de todas as origens e ingredientes. Por ironia do destino, o bacalhau português, que é pescado na Noruega, ocupa o topo da lista de produto português que mais se destaca fora do país.

Em Belo Horizonte, o Restaurante do Porto, cuja especialidade é a culinária portuguesa, é um dos mais tradicionais da cidade, com mais de 40 anos de funcionamento, segundo informações de Leonardo Duarte, filho do proprietário do estabelecimento.

“A tradição e o envolvimento com a culinária lusitana herdamos do meu avô, que foi proprietário de um dos primeiros restaurantes portugueses em Belo Horizonte. Eu era criança, mas ainda me lembro de minha mãe preparando receitas portuguesas, como a caldeirada de coelho, a sardinha e o bacalhau”, recorda ele.

Comandado por Leonardo, juntamente com o pai, o movimento do Restaurante do Porto é bastante intenso, comercializando mensalmente cerca de duas toneladas de bacalhau. “O mercado mineiro absorveu melhor o bacalhau e decidimos focar nosso cardápio somente neste produto. O bolinho de bacalhau e a patanisca, uma isca frita e temperada fazem muito sucesso na casa”, comemora.

Os doces, quitutes e as sobremesas ocupam um lugar de muito destaque na culinária portuguesa, que tem no famoso Pastel de Belém uma das maiores atrações gastronômicas de Portugal. Trata-se de uma tradição centenária composta por massa folhada recheada com creme de leite. É um doce muito saboroso, servido quente e sempre muito apreciado.
Tanto lá como aqui, o pastel de Belém é muito procurado, por isso mesmo é um dos doces mais vendidos pela Doces de Portugal, uma loja especialidade em doces da terrinha, que há 22 anos, tem presença marcante na vida de Belo Horizonte.

“Hoje a aceitação dos doces portugueses é muito grande. O início foi difícil. Quando chegamos, ninguém conhecia os doces portugueses”, conta a proprietária Maria Fernanda Afonso, nascida na Angola, antiga colônia de Portugal. “Apesar da diferença entre as culinárias mineira e portuguesa, os mineiros realizaram várias adaptações e foram muito influenciados pela gastronomia portuguesa, inclusive dos doces”, conta ela.

A experiência de degustar um genuíno pastel de Belém em terras portuguesas está registrada para sempre na memória da professora universitária Daniela Vasconcelos, 31 anos, que viveu por 11 meses na cidade de Coimbra, região central do país.

Ela jamais se esquece dos pastéis de Belém. “São bastante cremosos e servidos quentes, com um pouco de canela por cima. Uma verdadeira delícia”, recorda ao salientar que, “apesar do doce português ter menos açúcar do que os doces brasileiros e ser feito à base de gema de ovo, os portugueses se preocupam com preservação dessa iguaria. “Existe uma campanha por lá incentivando as pessoas a não deixarem de comer o tradicional doce, mas sim consumí-lo com mais prudência”, afirma.