Mercados e feiras

0
Mercados e feiras

Imagem do fotógrafo Cyro José

Os mercados e feiras são espaços de comercialização de produtos diversos, que tem sua origem na necessidade do intercâmbio de produtos, quando trocava o que se tinha em abundância pelo que lhe faltava. Mesmo que em sociedades de subsistência, onde cada um produzia para seu próprio consumo, a comercialização de troca existia, mesmo que não fosse em um espaço definitivo.

O interesse por produtos vindos do exterior é destacado pela historiadora Ana Raquel Rasshider como importante fator para formação dos mercados e feiras. Isso porque, segundo ela, os tecidos, jóias e perfumes, eram sinônimos de status. No setor de alimentação, o que mais chamavam a atenção eram as especiarias, “que vinham de vários lugares do mundo”.

A historiadora explica, ainda, que os mercados eram menores, com objetivo de atender o povo local, enquanto as feiras trabalhavam com quantidades maiores e uma maior diversidade de produtos. Atualmente, esse conceito sofre uma inversão, uma vez que as feiras são conhecidas como espaços menores, fazendo comércio mais bairrista e os mercados, por sua vez, se tornam de grande proporção.

A relação de comércio nesses ambientes é bem particular, visto que grande parte é formada pelo contato direto do produtor com o consumidor. Tal fato é visto pelo economista Paulo Linhares como benéfico, “o trato direto com o cliente cria oportunidade de vender melhor o ‘peixe’, a argumentação tem fundamento, pois ele sabe tudo sobre o produto que está vendendo”.

Os mercados, tido principalmente em capitais do país como Mercados Centrais, são pontos de referencia para a cultura local, assim como fundamental para o turismo. Segundo a turismóloga Gabriela Furtado, os mercados são importantes para a divulgação dos produtos locais, “é uma forma de mostrar o que a cidade tem de melhor”. A advogada Ana Luiza Cainero compartilha da opinião, pois diz ter o hábito de ir a mercados dos lugares onde visita. “É uma forma de conhecer o lugar onde estou e também seleiro de lembrancinhas para dar de presente”.

Livros
Nos mercados e feiras são encontrados produtos diversos, desde comidas típicas a artesanatos. É um espaço que retrata a cultura de um lugar, se tornando um ambiente sugestivo para publicações de livros. Com diferentes focos, desde registro fotográfico à pesquisa gastronômica, mercados e feiras são temas que rendem uma boa história.

A gastrônoma Ana Claudia Frazão é autora do livro “Comedoria Popular – receitas, feiras e mercados do Recife”. O livro contempla receitas, dicas e características históricas do lugar. A idéia de Ana é dar sequência no trabalho, “Recife é destaque no cenário gastronômico do país e foi escolhido como primeiro laboratório, especificamente por seus emblemáticos e pitorescos mercados públicos e feiras livres”.

O fotografo Cyro José também desenvolve um projeto acerca da temática. O livro “Mercados do Brasil – de norte a sul” irá retratar os principais mercados do país através da lente e paixão do fotografo pelo tema. A idéia, que nasceu há oito anos, já passou pela parte de produção, tempo em que Cyro viajou pelo Brasil visitando os mercados. “É um sonho antigo e que falta pouco para ser realizado”. Ele ressalta ainda que a diversidade do país é algo maravilhoso, “encontrei de tudo um pouco nos mercados que visitei”.

Outro livro lançado recentemente é o “Água na Boca”, que reúne 60 receitas cedidas pelos permissionários do Mercado Municipal de São Paulo e preparados por 10 chefs de cozinha da Federação Italiana de Chefs no Brasil. A publicação conta, ainda, com imagens da fotografa gastronômica Luna Garcia. Entre os chefs que participaram do projeto, está Luciano Antonello, que diz ser uma realização pessoal esse trabalho. “É muito importante fazer parte desse registro, fique muito orgulhoso de ajudar a contar essa história”.

No dia 07 de setembro de 2009, o Mercado Central de Belo Horizonte completou 80 anos de existência, um gigante que faz parte da história da capital mineira. E sobre ele foi lançado recentemente o livro “Mercado Central de Belo Horizonte – Um quarteirão cheio de histórias”, de autoria de Leonardo Sousa, colaboração de Luana Carvalho e ilustrado pelos olhares dos fotógrafos Marcelo Andrê e Miguel Aun.

Segundo Leonardo, escolher o Mercado Central como tema para este livro não foi por acaso. “Na verdade, ele começou a ser escrito nos primeiros anos da minha vida, quando acompanhava meu pai, o cozinheiro da casa, até os mercados”. Leonardo destaca, ainda, que o Mercado Central é um lugar onde você encontra tudo o que precisa e sempre acompanhado de uma boa prosa mineira.

Mercados pelo mundo
O blog Rainhas do Lar lançou uma campanha para receber fotos de mercados e feiras de todo o mundo. A idéia da série surgiu em função de uma leitora que enviou uma foto mostrando a feira que havia conhecido em uma viagem de férias. Faby Zanelati, que divide a autoria do blog com Kátia Najara, conta que perceberam como poderia ser interessante receber outras fotos, de outros lugares, já que o blog tem leitores em vários cantos do mundo. Dessa forma, os leitores teriam a chance de viajar com o Rainhas do Lar pelos mercados e feiras, conhecendo a diversidade de cada país, de cada região, tudo mostrado pela ótica dos próprios leitores.

Faby revela que a resposta não poderia ser melhor. “Recebemos dezenas de e-mails e já temos cerca de 50 feiras para serem publicadas. E não param de chegar novas fotos”. Ela destaca, ainda, que poucas coisas podem dizer mais sobre um povo, sobre um lugar, do que seus mercados e feiras.  “São os lugares que eu mais gosto de conhecer quando viajo”.
Das fotos que o blog recebeu, Faby destaca algumas, como as de Jerusalém, Índia, República Tcheca e várias da França, “que arrasa no glamour, vendendo scargots e foie gras – très chic!” No Brasil, a maioria das fotos são de Minas Gerais, principalmente do Mercado Central de BH.