Mercado Central em Belo Horizonte completa 80 anos

0
Mercado Central em Belo Horizonte completa 80 anos

Pimentas no Mercado Central

Prepare-se para uma aventura da diversidade. Sabe aquele tradicional queijo minas, você encontra lá. E comer um pedaço de abacaxi picado na hora ou aquele saboroso fígado acebolado com jiló. E tem muito mais: pimenta, temperos, hortaliças, panelas, colher de pau, embutidos, produtos típicos, artesanato, carnes, peixes, flores, cachaças, doces e uma infinidade de produtos carregados de cultura.

No dia 07 de setembro desse ano o Mercado Central completa 80 anos de existência, um gigante que faz parte da história da capital mineira. Um elemento importante não só na economia da cidade, mas também com grande representatividade no turismo e cultura local. Para celebrar a data, fomos ao Mercado com objetivo de mostrar algumas de suas belezas.

“O mercado é onde procuro inspiração para elaborar novos pratos e onde encontro produtos diferenciados em relação ao frescor e sabor dos ingredientes. Além disso, o clima de convivialidade nos remete a nossa mineirice.” Bruno Albergari

Envelhecer faz bem

Muito prazer. Não se assuste, sou um senhor de idade e se caduquice é fazer das experiências uma força vital, então sou caduco de tudo. Nascido em uma cidade jovem, que tinha apenas 31 anos na época, vim para ficar. Belo Horizonte é minha casa, ser mineiro é meu orgulho.

Para sobreviver, passei por mudanças físicas e espirituais. Antes, era ao ar livre, hoje sou adepto a sombra e água fresca. Na minha juventude, estive à frente de manifestações e lutas para continuar de pé. E já deixo meu recado, continuo vivaz para qualquer briga que vier, não queira mexer com um dos meus.

Possuo uma coroa de abacaxi em cima de uma cabeça de repolho e com cabelos de anjo por baixo. O meu umbigo é de banana e o dente de alho. Eu aponto com um dedo de moça e piso com o pé de mandioca. Posso até parecer estranho, mas estou sempre aberto para todas as tribos e estilos.

Em 80 anos de existência, aprendi muito com os calos e lições de vida que por mim passaram. E não estou cansado, quero viver muito mais. Tenho sede de mostrar a todos a maravilha da cultura e tradição da nossa terra.

Estou feliz com a sorte que tenho, só gostaria de não ficar sozinho. Repito, sou um senhor de idade e caduco de tudo. Muito prazer.

Francisco Romão