Dom Quixote circula por Minas Gerais

0

Oratório – A Saga de Dom Quixote e Sancho Pança chega a Belo Horizonte, Betim e Sarzedo

ORATÓRIO_CRÉDITO-Daniel-Protzner-(3)

De 4 a 12 de dezembro, a Cia Burlantins estará em Belo Horizonte, Betim e Sarzedo com seu icônico espetáculo Oratório – A Saga de Dom Quixote e Sancho Pança. A circulação, que já passou por Ibrité e Uberlândia e seguirá para Montes Claros, conta com patrocínio da Petrobras, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. Os atores, cantores e compositores Sérgio Pererê e Mauricio Tizumba dão vida ao cavaleiro andante e a seu fiel escudeiro, respectivamente.

 

Em BH, a apresentação será no Galpão Cine Horto, 4 e 5 de dezembro, sexta-feira e sábado, às 20h, e domingo, 6 de dezembro, às 17h e às 20h. Em Betim, no dia 9 de dezembro, quarta-feira, às 20h, na Casa de Cultura. E em Sarzedo, no dia 12 de dezembro, sábado, às 15h, na Praça do Museu de Sarzedo. No interior, a apresentações têm entrada gratuita e em Belo Horizonte, a preços populares (R$10 inteira).

A peça fez sua estreia em 2012, dando início a uma nova fase da Cia Burlantins com trabalhos encenados exclusivamente por atores e atrizes negros. O roteiro é assinado pelo diretor, autor, roteirista e ator Eid Ribeiro e mantém as falas originais do clássico de 1604, escrito pelo espanhol Miguel de Cervantes. A atriz Paula Manata, do grupo Armatrux, repete a parceria firmada com a Cia Burlantins em “Zeropéia – O Show”, de 2007, e foi responsável pela direção do espetáculo.

 

Tizumba também assume a direção musical. Já Sérgio Pererê assina as composições da trilha sonora, com arranjos de Everton Coroné e Alysson Salvador. A atriz e cantora Nath Rodrigues dá voz e vida a Dulcinéia Del Toboso. Alysson Salvador, Daniel Guedes e Ricardo Campos completam o elenco.

 

A escolha de atores-cantores não é gratuita. Como nos trabalhos anteriores da Cia Burlantins, a música é também personagem. Por meio dela, diferentes ritmos – xote, forró, blues, maracatu – são visitados em um passeio pelo universo quixotesco e o público é aproximado do complexo universo subjetivo das personagens. Música, dança, figurinos, cenário e bonecos ajudam a conferir brasilidade e mineiridade à atmosfera de Dom Quixote de La Mancha . “Tudo em nome da fama eterna da cavalaria andante”.

 

Sinopse
Após ler muitos romances de cavalaria, um fidalgo castelhano perde a razão e passa a peregrinar em busca de aventuras como as de seus heróis. Espanha adentro, mundo afora. Agora, em terras mineiras, o icônico cavaleiro andante Dom Quixote e seu fiel escudeiro Sancho Pança reaparecem em um espetáculo que une elementos clássicos da obra de Miguel de Cervantes e da cultura brasileira. Para dar vida às personagens, os atores, músicos e compositores Sérgio Pererê e Maurício Tizumba estão à frente do elenco nos papéis do fidalgo e seu escudeiro. Como nos trabalhos anteriores da Cia. Burlantins, em “Oratório – A Saga de Dom Quixote e Sancho Pança” a música é também personagem. Por meio dela, diferentes ritmos são visitados em um passeio pelo universo quixotesco.

 

Cia. Burlantins
No início do século XVIII, os primeiros artistas populares itinerantes do país recebiam o nome de Burlantim. Eles percorriam o Brasil em companhias mambembes, apresentando uma arte essencialmente de rua. Fundada em 1996, pelas atrizes e cantoras Marina Machado e Regina Souza, a companhia recebeu pouco depois de seu surgimento o reforço do ator, cantor, compositor e instrumentista, Maurício Tizumba. Mais que encenações com trilha sonora, a proposta do grupo era promover uma integração entre música, teatro e dança. O resultado foram espetáculos que fizeram da Cia. Burlantins um dos grupos mais respeitados no cenário artístico nacional: (1997) O Homem da Gravata Florida; (1998) Opereta – o Homem que sabia Português; (2002) À Sombra do Sucesso e (2007) A Zeropéia. Em 2012, Tizumba retoma as atividades do grupo com Oratório – A Saga de Dom Quixote e Sancho Pança e, posteriormente, Clara Negra (2013) e Munheca (2013). Desde 2013, a Cia Burlantins é também responsável pela Mostra Benjamin de Oliveira, que recebe espetáculos de teatro, dança e circo realizados por atores e atrizes negros.

 

SERVIÇO

Oratório – A Saga de Dom Quixote e Sancho Pança

BELO HORIZONTE

De 04/12 e 05/12, sexta-feira e sábado, às 20h, 06/12, domingo, às 17h e às 20h

Galpão Cine Horto (Rua Pitangui, 3613, Horto)

R$10 (inteira) / R$5 (meia-entrada)

Informações: 31-3481-5580

BETIM

09/12, quarta-feira, 20h

Casa de Cultura (Av. Padre Ozório Braga, 18, Centro)

Gratuito

Informações: 31-3532-2530

SARZEDO

12/12, sábado, 15h

Praça do Museu de Sarzedo (Rua Eduardo Cozac, 292, Centro)

Gratuito

Informações: 31-3577-8882

 

> Classificação livre

> Duração: 60 minutos

 

Fotos de divulgação: http://bit.ly/1k2ioql

 

Ficha técnica

Roteiro: Eid Ribeiro

Direção: Paula Manata

Elenco: Sérgio Pererê (Dom Quixote), Mauricio Tizumba (Sancho Pança), Nath Rodrigues (Dulcinéia del Toboso), Alysson Salvador, Daniel Guedes, Ricardo Campos.

Direção musical: Mauricio Tizumba

Músicas: Sérgio Pererê

Arranjos: Everton Coroné e Alysson Salvador

Arranjos vocais e preparação de coro: Ernani Maletta

Cenário e bonecos: Eduardo Félix e Conrado Almada

Figurino: Maria Luiza Magalhães e Janaína Castro

Iluminação: Bruno Cerezoli e Cristiano Araújo

Sonorização: Emerson Silva e Chitão Santos

Coreografia: Giovana Penna

Projeção (vídeos): André Mintz

Contra-regra e montagem: Cacá Santos

Cenotécnicos: Felício Alves e Marcelo Oliveira

Confecção dos bonecos: Júnia Melillo e Leornardo Martins

Produção Executiva: Elias Gibran e Mariana Maioline (Napele Produções)

Assistente de Produção: Aristeo Freitas

Assessoria de Imprensa e Redes Sociais: Carol Macedo, Jessica Soares e Júlia Moysés (Canal C)

Projeto gráfico: Oeste

Fotos: Daniel Protzner