Arte doce: uma história que inspira

0

Não são apenas as semelhanças físicas e traços de identidade  que unem as gêmeas  Ana Lúcia e Luciana Dietze. Elas dividem uma paixão descoberta ainda na infância, quando, por vezes, trocavam a pipa, peteca e peão, por cursos de culinária para crianças.“Aprendemos muitas receitas que eram difíceis para crianças, como pão de queijo, mini pizzas e tortas de chocolate. Tem um creme que a gente aprendeu nessa torta que usamos até hoje. Desde criança gostávamos de cozinhar e a nossa diversão durante as tardes era fazer bolo”, revelou Luciana.

naked-casamento-xapuri

 

 

 

 

“Vejo a gastronomia realmente como expressão artística. Há um jeito singular em cada prato servido por diferentes pessoas. Aquela comida é sua. Então cozinhar pra mim é totalmente ligado à arte. Agora, confeitaria ainda mais, pela estética propriamente dita”, Luciana Dietze.

 

Era páscoa de 2011. Ana Lúcia acabara de descobrir as delícias e surpresas da maternidade, o que, mais tarde, se tornou  o estopim para uma nova descoberta que mudou por completo a vida das irmãs: a vocação para os negócios no ramo de doces artesanais. Luciana, que é formada em Publicidade e Propaganda e, até então, trabalhava como representante comercial em um jornal, decidiu investir na implementação da marca e criação de um blog, enquanto a irmã Ana, graduada em Tecnologia de Eventos e Confeitaria continuava focada na produção e vendas. Surge Analu.

Analu:  junção de Ana Lúcia e Luciana.

DSCN4981

Com apenas 11 anos de idade, as garotas já criavam suas receitas e faziam a alegria de familiares e amigos, que se deleitavam com tantos quitutes deliciosos.

“Em seguida eu engravidei, e quando a Mariah nasceu não me senti motivada para trabalhar fora. Sempre gostei de cozinhar também, a Ana já estava trabalhando bem com a produção, quando resolvi “me jogar”, sair da área corporativa e entrar de vez na doceria. Isso foi em 2013. Então, passei a dedicar inteiramente ao Analu. Com isso, passamos a produzir mais e investir na divulgação. Além do blog, hoje temos o perfil no Facebook e Instagram e todos são importantes canais de venda pra gente”.

O blog abriga histórias  em forma de bolos, tortas e os mais diferentes estilos de doces. De modo que o trabalho das irmãs é totalmente artesanal, evitando ao máximo qualquer produto industrializado.

O Analu serviu também para o crescimento pessoal das irmãs, que buscam a cada dia um tipo diferente de especialização. Isso envolve, inclusive, pesquisa de cores, estilos… Elas entendem que o bolo, no final das contas, é a maior atração na mesa dos doces. Logo, precisa ter a identidade da festa. Então, ali, ele é um objeto de arte comestível. E assim como as artes plásticas, na “obra comestível” é possível identificar o artista pelo conjunto de singularidades.

Há estudos que indicam que gêmeos, na maioria dos casos, tendem a ser extremamente sensíveis entre si. Esse é um dos princípios que diferenciam o trabalho do “Analu”, que se destaca com a sintonia indizível com a qual trabalham as irmãs Ana Lúcia e Luciana.

“Hoje, eu trabalho com o que eu gosto”, contou Luciana.

Conheça Analu